No limiar da noite

Ir em baixo

No limiar da noite

Mensagem por Narrador em Sex Nov 23, 2018 7:52 pm


 
O Que será de Nozes?

     A tempestade de raios iluminava os céus escurecidos enquanto o vento forte jogava a chuva contra os vidros sujos das janelas de grandioso castelo. No interior do local, sentado sobre um trono grande de ouro branco encontrava-se a figura imponente do Rei dos Deuses. Zeus, ao contrario do que sempre lhe fora atribuído, estava evidentemente cansado. Seu rosto agora era marcado por diversas rugas que não se podia definir se eram por idade ou preocupação, os cabelos bastos e negros agora eram repletos de fios prateados. Seu físico ainda era invejável e sua postura intimidadora, mas algo parecia errado naquele momento, ou a algum tempo.

— Meu pai, Hermes e os semideuses tiveram êxito e recuperaram a área do antigo acampamento. Estão reconstruindo o local nesse exato momento.

Os olhos cinzas de Atena eram evidentes mesmo quando a Deusa se mantinha ajoelhada sobre um dos joelhos. Do elmo grego desciam fios dourados como os raios de sol. As formas curvilíneas sempre tão evidentes eram ocultas pela armadura que vestia, pronta para a guerra. Zeus fixou seus olhos azuis sobre sua filha e acenou de forma positiva com a cabeça:

— Sabe bem que depois que os Deuses Hindus mataram Hera entramos em guerra e precisamos de toda a nossa energia acumulada para podermos enfrenta-los em igualdade — A expressão do deus era inelegível — Graças a essa modernidade dos tempos atuais nós caímos em desgraça, perdemos nossa fonte principal de poder que era a fé dos macacos de barro.

Atena repuxou os lábios de uma forma nada bonita, ela odiava quando o pai se referia dessa forma aos humanos. Contudo, aquela não era a hora de contrariar o Deus dos Deuses. Continuando seus discurso como se não tivesse notado a expressão da filha ou apenas a ignorando, Zeus acariciou a barba à fazer:

— Convoque Hécate e Nyx. Iremos reverter o feitiço que negou aos filhos dos Deuses os poderes que lhes eram devidos por direito de nascença. Precisaremos deles fortes para quando chegar a hora.

A sala era iluminada apenas por luminárias antigas e pela intensidade dos raios que castigavam as paredes externas da imponente construção. Atena se ergueu, olhando para o pai e bateu com o punho fechado sobre o peitoral da armadura, claramente aceitando as ordens que lhe foi dada.

— E antes que eu me esqueça, Atena...— Zeus se ergueu do trono e mais raios e relâmpagos foram sentidos no exterior do castelo — Se prepare para a batalha, os nórdicos já estão à caminho.  

     
 

Narrador
Narrador
Admin

Mensagens : 283
Data de inscrição : 24/07/2018

Ver perfil do usuário http://pjonline-reloaded.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Narrador em Qua Jan 02, 2019 1:30 pm


   

       
Conselho de Guerra
OLIMPO

       
Zeus estava sentado pensativo na Sala dos Tronos, no centro do Olimpo. Em toda volta, o mundo estava um caos. No seu lado esquerdo estava o antigo trono de sua esposa e irmã, Hera, recentemente assassinada. Como puderam? Eram imortais! Havia mais cinco tronos ao lado do dela, pertencentes às deusas Deméter, Atena, Ártemis, Afrodite e Dionísio. Já em seu lado esquerdo havia os seis tronos, pertencentes aos deuses Poseidon, Ares, Apolo, Hefesto e Hermes. Havia ainda os dois que adicionou há mais de 200 anos, um de cada lado, para Hades e Héstia. Porém, no momento só ele ocupava a sala, foi pedido à todos os demais que se retirassem. Sabia que havia milhares de convidados do lado de fora, não era uma festa, era uma guerra, mas ainda não estava pronto para dar todas as notícias.
Então a porta abriu, quebrando o silêncio, e seu irmão, um dos mais insuportáveis, entrou sendo seguido de perto de uma Atena furiosa:
— Venho de Atlantis para cá e acha mesmo que ficarei esperando, sobrinha? - Dizia ele à deusa. - Olá, irmão. - Acrescentou quando chegou próximo ao trono, arrumou a capa presa à armadura e se sentou no trono do lado direito de Zeus. - Quanto tempo pretende nos deixar do lado de fora?
Zeus suspirou profundamente e ergueu a mão para calar as queixas de sua filha.
— Poseidon... - O deus passou a mão no rosto e por um momento sua aparência refletiu seus milhares de anos. - Não muito pelo o que vejo. Atena, chame todos, é chegada a hora.

Instruções:
1. Todos com contas divinas devem postar aqui, possuem 24 horas para chegarem ao Olimpo.
2. Aqueles que não tiverem um trono, foi colocado uma cadeira para vocês, estilo plateia mesmo.
3. Lissa e Estranho são os únicos que não postam agora.
*Chronos e Ananke estão de Narrador, pode ser que aparecemos pouco.*

       

   



Última edição por Narrador em Qui Jan 03, 2019 8:47 pm, editado 1 vez(es)
Narrador
Narrador
Admin

Mensagens : 283
Data de inscrição : 24/07/2018

Ver perfil do usuário http://pjonline-reloaded.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Macária em Qua Jan 02, 2019 9:06 pm


Convocação...

A Guerra se aproxima...
Estávamos do lado de fora do salão onde Zeus estava trancado. O velho carrancudo ficou ainda pior quando a rainha do Olimpo morreu... Ah, humanidade cruel que perdeu a fé no casamento e fidelidade. Certamente enfraqueceu Hera e sucedeu sua morte. Mas bem, eu não sabia exatamente o motivo da convocação, mas estava lá assim como outros deuses.

Suspirei um pouco mais forte do que eu queria, e observei enquanto Poseidon e Atena discutiam - para não sair do costume, eu acho -, e ele abriu as portas da sala e entrou. Aguardei um pouco até que Atena apareceu convocando-nos a entrar.

Ah, eu não era muito chegada ao Olimpo - apesar de Zeus ter reconhecido meu pai como olimpiano e posto um trono para ele; aquele local ainda era um pouco desconfortável para mim. Adentrei a sala, fiz uma breve reverência e sentei em uma das cadeiras que foram colocadas como para uma platéia, observando os outros deuses entrarem e tomarem seus lugares em seus tronos, todos aguardando o pronunciamento do rei do Olimpo.


"Tudo é mutável, tudo aparece e desaparece; só pode haver a bem-aventurada paz quando se puder escapar da agonia da vida e da morte." - Sakyamuni

_________________
macária
"Então que cavem duas seputuras, se eu morrer eu prometo que acordarei ao seu lado."
Deusa da Boa Morte | Thanatos ♠️
Macária
Macária

Mensagens : 7
Data de inscrição : 07/09/2018
Localização : Submundo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Thanatos em Qua Jan 02, 2019 10:23 pm

Tinha certa aversão a formalidade protocolares dos deuses, principalmente dos Olimpianos. Sabia que independente do que seria discutido naquele salão e da decisão que tomariam, muitas vidas mortais seriam tomadas. Vidas de semideuses, vidas de inocentes e quem sabe até mesmo vida de deuses. Mesmo sendo um deus, aquilo não despertava em mim nenhuma emoção, afinal, eu era a morte. E sabia bem lidar comigo mesmo.

Movido apenas pela obrigação, sento-me em um dos cantos mais ao fundo, assistindo tudo como se fosse uma platéia. Observo os presentes e a única coisa que me chama a atenção são os cabelos negros de Macária, mas ainda assim decido me fechar no silêncio e esperar o que seria decidido, afinal, dependendo do desenrolar da situação, as decisões ali tomadas poderiam influenciar os ceifadores.
Thanatos
Thanatos

Mensagens : 1
Data de inscrição : 01/09/2018
Idade : 100
Localização : Labirinto

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Narrador em Qui Jan 03, 2019 8:38 pm


   

       
Conselho de Guerra
OLIMPO

       
Conforme os Olimpianos chegavam, assim como os demais deuses, tanto menores quanto primordiais, e ocupavam seus lugares, os tronos vazios chamavam grande atenção. Sabiam que Hera estava morta, mas porque Deméter não tinha comparecido uma vez que Hades e Perséfone estavam presentes? Hades ocupava o décimo terceiro trono, enquanto Perséfone estava sentada na fileira da frente.
— Geralmente é nessa época do ano que nos reuníamos para festejar. Quando convidávamos até mesmo alguns filhos mortais para vir ao Olimpo, mas como bem sabem essa celebração está longe de ocorrer novamente. Estamos em guerra e é chegada a hora de revidarmos. - Disse o rei do Olimpo. Zeus não precisava nem mesmo levantar de seu trono para soar imponente. - Recentes acontecimentos e algumas decisões nos obrigaram a reunir todos...
Zeus se levantou impaciente, não sabia por qual assunto começar. Decidiu deixar as notícias difíceis para o final.
— Recentemente enviei uma permissão à Hécate e Nyx para que os poderes dos semideuses fossem restabelecidos... - Um burburinho tomou a sala, ele sabia que já fazia mais de um século que tinham decidido retirar os poderes dos seus filhos mortais. - Sim, sabemos que sua natureza humana os tornam instáveis e flexíveis, mas não é nenhuma novidade que nosso poder enfraquece a cada dia - Admitir a segunda parte era difícil para o deus do Olimpo. - precisamos deles tal como precisam de nós. Por conta disso, Hermes e Atena cuidaram que conseguissem retomar o Acampamento, mais uma vez, aquele lugar específico é de grande valor para nossa existência.
Zeus procurou Quíron na multidão e quando o encontrou com os olhos, se dirigiu à ele: — Quíron, você deve voltar e ajudá-los em breve, precisam da sua orientação, mas antes há algumas coisas que gostaríamos que realizasse. - Olhou para Dionísio confortável em seu trono, esse logo se sentaria muito ereto com as palavras de seu pai. - Dessa vez nenhum dos meus filhos tem uma punição para cumprir, ficará à seu comando, mas logo aviso que quando voltar será diferente, esses semideuses montaram sua própria organização para sobreviverem.
O centauro se curvou ao deus do Olimpo aceitando suas palavras. Já havia muitos anos que não pisava naquele lugar, estava ansioso. Zeus olhou em torno do salão, procurando as duas divindades da qual queria esclarecimentos, mas esses ainda não tinham chego. A surpresa seria se aparecessem no momento certo.
— Há ainda um outro assunto tão delicado quanto para discutirmos. Convoquei para a reunião Chronos e Ananke, aparentemente alguns filhos nossos de mais de dois séculos atrás cruzaram as linhas do tempo e se reuniram com os semideuses dessa Era. Ainda não sabemos o nível das consequências ou porque permitiram.
As conversas irromperam na sala do trono, era um ultraje! Será que estavam todos condenados? Zeus se sentou novamente em seu trono, impaciente, esperando as conversas morrerem. Quando essas finalmente cessaram ele voltou a falar.
— Chegou à hora de partirmos para a guerra. Nossos inimigos provaram sua força ao assassinar minha esposa e irmã, Hera, de um modo que nem Nyx tinha conhecimento. E, mais uma vez, nos mostraram que todos estamos em perigo... - Fez uma pausa, antes de acrescentar a próxima parte. - Deméter foi morta dentro de seus próprios domínios.
A confusão estourou, deuses menores e ninfas se levantaram para saírem correndo. Imediatamente as portas da sala do trono bateram e um trovão ensurdecedor rompeu o ar. Esse era o aviso de silêncio de Zeus. Ao olharem em direção ao seu trono, viram o deus de pé novamente, com o Raio faiscando em suas mãos, em toda sua fúria. Sem uma palavra se sentaram.
— Para restabelecer a força do Olimpo não deixaremos mais tronos vazios. - Com uma última olhada para o trono vazio de sua esposa... Zeus apontou o Raio Mestre para esse e uma descarga foi em sua direção, o trono delicado se transformando em um negro com caveiras. Olhou para seu irmão no décimo terceiro trono e se dirigiu à ele. - Já passou a hora de ter o reconhecimento digno de sua força, junte-se à nós na linha de frente, irmão.
Hades olhou para ele surpreso, sempre fora o excluído, deixando de lado quanto à Zeus e Poseidon. Poseidon ainda se sentava à direita do deus do Olimpo, mas ele tinha recebido seu lugar como um dos Três Grandes. Hades se levantou (o trono que estava rapidamente assumindo uma aparência neutra, até por fim desaparecer completamente) e se dirigiu para o seu mais novo lugar. Quando se sentou neste, sentiu uma nova onda de energia lhe preencher, algo que tinha sido negado ao deus por todos esses anos. Orgulhoso não falou nada à Zeus, apenas assentiu com a cabeça antes de sentar, então olhou para Poseidon em sua frente, achou que o irmão estaria enfurecido, mas ele apenas sorria para o deus do Submundo. Aquilo realmente incomodou seu orgulho.
— Perséfone, venha até a frente. - Zeus convocou a deusa com um gesto de sua mão, essa estava sorrindo para o marido antes de ser chamada. Se levantou de seu lugar na plateia e ajoelhou diante do deus do Olimpo. - A perda de sua mãe, minha filha, é algo que ainda doerá em nós por muito tempo, mas creio que seria do desejo dela que sua filha assumisse seu trono. Não há pessoa mais capacitada atualmente do que você para se sentar no lugar que um dia pertenceu à sua mãe e, também, para receber todos os domínios que faziam parte de seu poder.
Perséfone que estava ajoelhada com a cabeça baixa, ergueu-a surpresa olhando admirada para seu pai, tristeza e agradecimento em seus olhos. Uma coroa de flores e um cetro apareceu nas mãos do deus, a coroa ele depositou gentilmente na cabeça de sua filha e o cetro ofereceu-a à ela conforme se levantava.
— Ergua-se, Perséfone, deusa das ervas, das flores, dos frutos e do perfume, deusa da terra, da agricultura e das estações do ano, da fertilidade e da colheita. Conhecida também por Core e Rainha do Submundo!
Quando se ergueu os deuses aplaudiram, Perséfone tomou seu lugar ao lado direito de seu marido, no trono de sua mãe, o qual imediatamente se tornou mais florido e exalou um perfume adocicado. Estava agora mais forte que antes. Zeus olhou ao redor, treze tronos e treze Olimpianos, não tão bom quanto quatorze, mas muito mais fortes que doze. Treze era ainda um número perigoso, ainda mais com os locais dados à duas figuras do Submundo, mas Atena tinha lhe aconselhado de tal forma. O deus só esperava que fosse uma atitude sábia.
Faltava somente os dois atrasados e o juramento de fidelidade de todos.

Instruções:
1. Todos com contas divinas devem postar aqui, possuem 24 horas. Nessa fase apenas assistam aos anúncios e reajam, vocês já estão no Olimpo.
2. Aqueles que não tiverem um trono, foi colocado uma cadeira para vocês, estilo plateia mesmo.
3. Lissa e Estranho não postam agora.
4. Thanatos e Macária estão livres da obrigação, ao menos que desejem postar.
*Chronos e Ananke estão de Narrador, pode ser que aparecemos pouco.*

       

   

Narrador
Narrador
Admin

Mensagens : 283
Data de inscrição : 24/07/2018

Ver perfil do usuário http://pjonline-reloaded.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Ananke em Sex Jan 04, 2019 12:20 am



Destino

— Eu estava certa. - Falei sem erguer os olhos do globo de vidro que mantinha no colo. - Zeus reconheceu Hades e tornou Perséfone uma Olimpiana, agora ela detém todos os poderes de Deméter.
Ainda estávamos no plano superior, onde eu passava a maior parte do tempo, afastada de outros deuses. Chronos também estava ali, tínhamos que ir ao Olimpo, atender o chamado de Zeus. Para os outros deuses estávamos atrasados, mas Chronos fazia o próprio tempo. Levantei-me e deixei o globo em seu suporte, então olhei para meu irmão.
— Vamos descer?

Aos curiosos:


Uma história a ser contada...
Ananke
Ananke

Mensagens : 92
Data de inscrição : 26/08/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Ares em Sex Jan 04, 2019 4:15 pm

Não mudei os costumes dos velhos tempo: com minha jaqueta preta e camisa vermelho sangue, calça jeans rasgada e óculos escuro, eu entrei no salão, outrora majestoso do olimpo. Não me curvei, não falei com ninguém. Minha presença por si só era causadora. A guerra se aproximava.
EU me aproximava.
Sentei no meu trono, e em silêncio observei quando meu pai chamou a Hades para o trono dos Três Grandes; Perséfone receber os domínios que pertenciam a sua mãe, Deméter. Burburinhos irrompiam do salão vez ou outra, até que Zeus interrompeu-os com seus raios. Observei o submundo em peso dentro daquele salão e sorri, quase imperceptivelmente, de canto. Quando a guerra acontecia, os habitantes do Submundo sempre juntavam a mim e eu apreciava suas companhias... Morte, Medo, Terror... Nada mais lindo do que a guerra poderia proporcionar.
Ares
Ares

Mensagens : 11
Data de inscrição : 07/08/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Chronos em Sex Jan 04, 2019 10:44 pm

- Eles buscam uma forma de equilibrar a situação e então virar o jogo. Foi uma decisão perfeitamente normal. Melhor nos juntarmos a eles.

Me fiz materializar diante Ananke. Minhas vestimentas comuns naquele tempo, sem pompa ou vaidade. Minha aparência poderia passar uma impressão de cansaço e desgaste, o que por sua vez não era nenhuma mentira.

Descemos então ao Olimpo, surgindo no centro da ampla sala, onde todos poderiam me ver. Uma aparição era rara, afinal, o tempo era deveras importante para se juntar a festas ou comemorações. Mas aquela ocasião em questão merecia uma maior atenção.

- Meus parabéns, Hades e Perséfone. Que sua presença no conselho Olímpiano seja marcada por bons presságios. Agora...creio que me chamou, Rei dos Deuses.
Chronos
Chronos

Mensagens : 68
Data de inscrição : 07/08/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Narrador em Sab Jan 05, 2019 4:55 pm


   

       
Conselho de Guerra
OLIMPO

       
Dois estalos soaram juntos na Sala dos Tronos, no centro da ampla sala, de onde surgiu Chronos e Ananke.
— Meus parabéns, Hades e Perséfone. Que sua presença no conselho Olímpiano seja marcada por bons presságios. - Disse Chronos como se estivesse estado lá o tempo todo. - Agora... creio que me chamou, Rei dos Deuses.
Zeus conteve um suspiro e se sentou lentamente no trono, enquanto pensava se seria apropriado adverti-los ou não. Era necessário uma entrada daquelas ou interromper a cerimônia?
— Chronos, Ananke... Vejo que se mantiveram pontuais - Zeus olhou para Chronos e rapidamente identificou como o deus se apresentava envelhecido, mas preferiu não dizer nada naquele momento. - Tivemos notícias de alguns semideuses atravessando as linhas temporais, algo nos seus domínios, imagino que o fato já esteja sobre seu conhecimento.

       

   

Narrador
Narrador
Admin

Mensagens : 283
Data de inscrição : 24/07/2018

Ver perfil do usuário http://pjonline-reloaded.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Ananke em Sab Jan 05, 2019 10:06 pm



Destino

Reprimi a vontade de revirar os olhos quando aparecemos no meio do salão, ainda mais depois do incrível comentário de Zeus sobre nossa pontualidade.
Então ele olhou para meu irmão e foi direto ao assunto:
— Tivemos notícias de alguns semideuses atravessando as linhas temporais, algo nos seus domínios, imagino que o fato já esteja sobre seu conhecimento.
Sim, Chronos tinha conhecimento disso, ele mesmo o tinha causado... mas será que admitiria?


Uma história a ser contada...
Ananke
Ananke

Mensagens : 92
Data de inscrição : 26/08/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Macária em Ter Jan 08, 2019 5:35 pm


Convocação...

A Guerra se aproxima...
Observei, com admiração quando meu pai assumiu um lugar junto de seus irmãos e agora, de fato, podíamos ver os "Três Grandes"; e inspirei, emocionada, quando minha mãe assumiu o lugar de minha avó, Deméter, tomando os seus domínios.

Não fiz parte do burburinho, várias vezes silenciado por Zeus; não me interessava. Olhei para trás e pude ver Thanatos sentado, levemente contrariado por estar alí. Sorri de canto e voltei minha atenção para o Rei dos Deuses no exato momento em que as raras divindades primordiais apareceram no centro do salão: Chronos e Ananke; Tempo e Destino. Ouvi as palavras de Chronos, como todos presentes, e arqueei levemente a sobrancelha com a alfinetada de Zeus para ele: "Tivemos notícias de alguns semideuses atravessando as linhas temporais, algo nos seus domínios, imagino que o fato já esteja sobre seu conhecimento."

Ora, esse tema me interessava. Sabia que meus filhos Máximos, os três, surgiram nesse tempo juntamente com outros semideuses. Se isso não tinha sido obra de Chronos e Ananke, afinal destino e tempo era coisas entrelaçadas na maioria das vezes, eu não saberia exatamente como reagir a todas as informações.


"Tudo é mutável, tudo aparece e desaparece; só pode haver a bem-aventurada paz quando se puder escapar da agonia da vida e da morte." - Sakyamuni

_________________
macária
"Então que cavem duas seputuras, se eu morrer eu prometo que acordarei ao seu lado."
Deusa da Boa Morte | Thanatos ♠️
Macária
Macária

Mensagens : 7
Data de inscrição : 07/09/2018
Localização : Submundo

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Chronos em Ter Jan 08, 2019 8:32 pm

- Sim, tenho conhecimento. Na verdade, eu mesmo os trouxe para cá. Acredito que, tempos de desespero pedem por medidas desesperadas. Vocês estão em guerra com deuses de tantas outras religiões...sua hegemonia está perto do fim. Eu sou o Tempo, eterno, mas mutável. Meus acólitos serão de grande ajuda e poderão restabelecer o poder que seus filhos deveriam ter.

Não poupei palavras, era uma situação que exigia assertividade. Provavelmente veriam como uma atitude louca, com severas implicações e seria isso mesmo. Por segundos pesei novamente minha decisão, como se jogasse uma moeda para decidir se seguiria em frente ou não. Novamente o resultado se repetiu...
Chronos
Chronos

Mensagens : 68
Data de inscrição : 07/08/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Órion em Qua Jan 09, 2019 12:58 pm

Vendo os acontecimentos mas não tendo feito muito mais que observando com ar calmo e paciente que esconde a inquietação que realmente sente, apos tanto tempo passado dês da última vez deixaram instintos de caçador mais fortes que nunca, o desejo de simplesmente ir e procurar um desafio para gastar energia roendo minha concentração.

O tempo porem não é certo para isso, afinal quando deuses morrem e o próprio tempo oferece auxílio ate o mais inquieto deve se sentar e tentar entender.
Mantenho o silencio, não por falta de assunto para discutir, muito pelo contrário, duvido que existam dias suficientes para discutir tudo que gostaria, mas nada que pudesse falar seria útil para a atual conversa, ao contrário de muitos com que partilho ambiente não tenho filhos ou grandes seguidores, pelo menos por enquanto.

“Uma guerra que obriga vários tipos de deuses a se aliar, no mínimo vai ser interessante”

Com esse pensamento volto a me concentrar na conversa que decorre.

Órion

Mensagens : 1
Data de inscrição : 20/11/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Chronos em Qui Jan 10, 2019 11:24 pm

Dando prosseguimento nas minhas declarações.

- Os Senhores do Tempo em breve serão reempossados de seus poderes, mas vamos deixar esse assunto de lado. Temos outros problemas no momento.

Bati Palmas e logo uma projeção foi surgindo no espaço acima dos deuses, tomando quase todo o salão. Era uma imagem elaborada do acampamento, como um mapa 3d. No local onde seria a Casa Grande surgiu uma imagem menor, um rosto mascarado.

- O acampamento foi atacado, até aí nenhuma surpresa considerando que ainda existem semideuses revoltados espalhados pelo mundo. No entanto, foi um incidente duplo. O mascarado que estão vendo é um completo... desconhecido. Ele rompeu um selo antigo e ainda por cima causou alguns problemas com outros semideuses. Não sei a natureza de seus poderes, mas ele está muito acima da média. Prosseguindo, o outro atacante também é desconhecido, mas assassinou diversos outros meio-sangues. Sobre a guerra, meus poderes estão sendo bloqueados mas acredito que os nórdicos estão se preparando para um ataque.

Chronos
Chronos

Mensagens : 68
Data de inscrição : 07/08/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Narrador em Sab Jan 12, 2019 1:42 am


   

       
Conselho de Guerra
OLIMPO

       
O Olimpo se manteve em silêncio com as declarações de Chronos. Zeus apenas o olhava com raiva, se enfurecendo mais a cada segundo.
Quando a imagem do Acampamento foi projetada e transmitida informações de dois ataques aos semideuses em uma só noite, Zeus rompeu o silêncio. Se lavantou tão abruptamente e tão irado que trovões irromperam nos céus à distância, sendo claramente ouvidos por todo o Olimpo.
— Como ousou? Por "acólitos"? - Ironia soava em sua voz. - Seu ato impensado pode ter trazido a nossa ruína, quem sabe mais que outras coisas podem ter acontecido por causa de sua atitude? Não me surpreende os ataques, logo após eles terem voltado!
Olhou para Ananke, ao lado do companheiro, com tanta raiva quanto olhará para Chronos.
— Imagino que se manterá calada mais uma vez? Se ambos se envolvessem mais e compartilhassem o que sabem, não estaríamos nessa situação. Creio que já sabia dessa guerra, por que não nos fala logo o resultado e nos polpa esse tempo?


       

   

Narrador
Narrador
Admin

Mensagens : 283
Data de inscrição : 24/07/2018

Ver perfil do usuário http://pjonline-reloaded.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Dionisio em Dom Jan 20, 2019 2:25 am

As flechas zuniam em seu lento voo pelo céu quando de forma impactante se chocaram contra o escudo dourado do Deus e de seus soldado. Não representavam realmente uma ameaça, mas ára Dionisio aquilo foi como um insulto.

— Eles realmente acharam que me venceriam com isso Rafaleão? Ahhhh Aquiles teria rido alto disso. — O soldado sorriu de canto, ainda retirando as flechas do próprio escudo — Guie os homens pelos flancos, eles já esão praticamente derrotados. Mais um pouco de avanço e teremos terminado por aqui.

O soldado, seguindo as ordens de seu líder, juntou um grupo ostensivo e juntos marcharam contra a tropa que se fechava muitos metros a frente. Dionisio passou a mão pelo cabelo, jogando os cachos escuros e ensopados de suor para trás, enquanto observava o que seria o golpe final contra as tropas inimigas. Rafaleão só precisava cercar os defensores por ambos os lados, apenas isso, mas algo errado aconteceu. Um dos soldados que estavam na tropa de Rafaleão o golpeou pelas costas, rasgando-lhe a garganta e isso abriu um vácuo de poder entre os outros soldados do Olimpo. Graças a isso, o inimigo se lançou ao ataque e aos poucos matou todos os presentes sem exitação ou pena. Aquilo era uma guerra. Não havia espaço para tais sentimentos.

Dionisio provou disso, da sensação incômoda que lhe embolou a garganta e desceu goela a baixo de forma amarga. Seus olhos azuis se arregalaram e seus dedos se fecharam no cabo do tirço com tamanha força que os nós dos dedos ficaram brancos. Um urro grutal varreu o campo de batalha e o Deus se lançou em uma ofensiva definitiva disposto a talvez cair em batalha mas não sem antes levar todos os inimigos que pudesse:

— POR ZEEEEEUS!
O sangue espirrou e..."


Sentado no trono que lhe era de direito, Dionisio tomava um gole pequeno daquele delicioso vinho que havia preparado a séculos atrás. Sentira falta da bebida durante o tempo que seu castigo lhe proibiu de ter qualquer contato com sua maior criação e agora podia tomar o quanto quisesse. Mas isso já não era importante. Ao se ajustar melhor no assento, apoiou a taça na mesa ao lado sem se preocupar com os trovões que ouvia ou com os Deuses que chegavam para a reunião. Poucos deles realmente foram ativos nas batalhas que foram travadas e o olimpiano poderia culpar pelo menos uma dúzia pelas perdas que eles tiveram "Não. Você foi o único culpado por isso." Talvez fosse verdade, talvez seus pensamentos  estivessem o traindo.

Toda a raiva que sentia e escondia era dele, ninguém além do próprio Deus tinha culpa pelos soldados que foram massacrados, ele subestimou o inimigo e seus homens pagaram por isso. Ao longe, ouviu menção ao Acampamento Meio-Sangue e sua atenção fugiu dos devaneios para se atentarem ao que o velho Tempo tinha a dizer tentando não parecer surpreso quando a citação aos seus asseclas ganhou o espaço do ambiente. Aquele grupo causara muitas confusões no passado, resolveram algumas outras e sumiram quando foram necessários. Poderiam ser todos Olimpianos se levasse em conta o histórico de suas atividades.

— Sabe que ela não pode, meu senhor. — Dionisio olhou diretamente para o pai, tomando outro gole de vinho enquanto a mão que estava livre se apoiava no braço do trono — O lance todo do princípio universal da ordem natural, a inevitabilidade e tudo mais. Desista de tentar arrancar informações sobre o que virá, ela não pode escolher um lado e isso não é um problema pois tanto ela quanto o velho Chronos não estavam aqui na criação mas estarão aqui depois do fim. — O Deus bebeu outro gole da bebida antes de apoiar a taça sobre a mesinha.

— Mas importante do que saber o resultado dessa guerra é ouvir o que Órion tem a dizer sobre o inimigo desconhecido, sei que o foco dele são monstros mas bem que suas habilidades de caça poderiam nos ajudar a saber um pouco mais sobre o que e quem são os nossos inimigos já que tudo que sabemos até agora é a forma como eles gostam de cortar as gargantas.

Dionisio sustentou o olhar para seu pai, esperando que o mesmo se manifestasse sobre o que acabara de falar já sabendo que podia estar colhendo para si uma tempestade que não lhe era dada.
Dionisio
Dionisio
Olimpianos
Olimpianos

Mensagens : 1
Data de inscrição : 06/08/2018

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: No limiar da noite

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum